Casa e Decoração

Escolhendo piso para a casa? Conheça as vantagens do porcelanato

O produto vem ganhando o mercado por apresentar características como coloração uniforme e brilho incomparável, além de ser durável e resistente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/05/2015 15:23
A escolha do piso é um fator muito importante para a residência em diversos aspectos, como funcionalidade, estética e conforto. Então qual o melhor piso disponível no mercado? Essa é uma questão muito individual, pois envolve o tipo de construção, dimensionamento da área, decoração que será explorada e também o valor disponível para investir no piso. Para que você realize uma boa escolha é interessante conhecer a variedade possível de tipos e modelos de pisos, assim como suas principais características funcionais e efeito estético para o ambiente. Entre os preferidos de mercado está o porcelanato, um revestimento do tipo cerâmico, que possui materiais nobres em sua composição. O porcelanato vem ganhando o mercado por apresentar características como coloração uniforme e brilho incomparável, além de ser um produto com boa durabilidade e resistência. Diferenças entre cerâmica e porcelanato A cerâmica tradicional é composta de uma mistura de argilas que passa pelos processos de prensagem ou de extrusão e é queimada a até 1.150 graus. Depois da prensa, as placas são secas e podem receber esmalte (decoração). Se elas forem extrudadas a vácuo, retira-se o excesso de umidade da massa, facilitando a criação de formas diferenciadas. Já o porcelanato tem materiais mais nobres (como o feldspato), queimados a temperaturas superiores a 1.200 graus. Ele é tecnicamente superior, pois oferece elevada resistência mecânica, química e baixa porosidade (menos suscetível a manchas). Tipos de porcelanato O piso porcelanato pode ser dividido basicamente em duas categorias diferentes: o porcelanato técnico e o porcelanato esmaltado. O primeiro é feito com massa porcelânica que possui as características de padrão e cores, ou seja, na própria massa já recebe essas características. Não recebem revestimento, por isso têm baixo índice de absorção e alta resistência. Já o esmaltado recebe uma camada de esmalte sobre a massa e por isso não oferece todas as vantagens e desempenho do porcelanato técnico. O técnico (que pode ter superfície polida ou natural) tem absorção de água menor ou igual a 0,1%, enquanto no esmaltado esse índice é menor ou igual a 0,5%. Quanto mais baixo for o número, menor a porosidade e maior a resistência mecânica e à abrasão. Esse é o caso dos técnicos, que são divididos em dois grupos: acetinados e polidos. "Nos acetinados ou semipolidos o processo não chega ao polimento completo, portanto não há brilho", explica Lilian Lima Dias, do Centro Cerâmico do Brasil (CCB). Já os polidos trazem um brilho que oferece a sensação de amplitude, mas são mais escorregadios. Esse tipo é mais suscetível à manchas se comparado aos anteriores. "Em sua superfície pode existir microporosidade, que surge pela ação do polimento", diz Eduardo Quinteiro, do CCB. Se a ideia for comprar uma peça rústica, tanto os técnicos quanto os esmaltados dispõem desse acabamento. "Ele oferece maior resistência ao escorregamento, mas dificulta a limpeza", alerta Ana Paula Menegazzo, do CCB. Durabilidade Para que cerâmicas ou porcelanatos sejam duráveis, a escolha tem de ser adequada às solicitações de uso do local. "A especificação correta está relacionada a propriedades como absorção de água, resistência a cargas, entre outras", esclarece Ana Paula, do CCB. Associa-se erroneamente a qualidade do produto com a resistência à abrasão do esmalte (PEI- Porcelain Enamel Institute). "Ele não garante a durabilidade da peça, mas pode ser um recurso para a especificação correta com relação ao tráfego de pessoas", diz ela. Em salas e cozinhas de alto tráfego, eleja PEI igual ou maior que 4. Num banheiro, com trânsito baixo de pessoas, basta PEI igual ou maior que 2. Acabamento Se você prestar bem atenção, nos porcelanatos até o acabamento das bordas são diferenciados: quando ele tem corte preciso nas bordas é chamado de retificado, e quando laterais são levemente arredondadas são chamamos de bold. Há também o borda plana, que assemelhasse ao retificado mas não tem recorte tão uniforme quanto o retificado. Geralmente no caso do retificado, o acabamento final é mais uniforme, já que a peça e o rejunte ficam no mesmo nível, e os espaçamentos entre as peças são menores (de 1 a 2 mm). No bold, o rejunte fica um pouco abaixo do porcelanato, além da junta de dilatação ser maior (de 3 a 5 mm). Os pisos de porcelanato ainda possibilitam um acabamento que recebe o nome de 'junta seca', que é a aplicação do produto sem espaços entre as peças. Esse acabamento proporciona o efeito de uma placa única, em que não se nota a emenda entre as peças. Existe uma grande variedade de porcelanatos disponíveis no mercado. Por isso, na hora de projetar é necessária a orientação de um profissional especializado para saber qual formato e tamanho são mais indicados para a área que será revestida, gerando menor quebra. (perda do produto com recortes). Uma última dica: por mais que o porcelanato seja um piso muito resistente, esse produto não tolera a aplicação de substâncias abrasivas, pois o rejunte e o esmalte podem ser danificados, tornando a superfície do piso porosa e propensa ao aparecimento de manchas. (Fontes: Joyce Palazzo - Design de Interiores / Blog Portobello / Casa Abril / Reforma Fácil / Terra)

Tags: vida

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
27 de outubro de 2016