Casa e Decoração

Com as altas temperaturas, saiba como evitar insolação em animais

A hipertermia por insolação, também chamada de intermação, é muito comum em dias quentes e abafados.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/01/2015 16:42
O calor excessivo é um preocupação a mais para os donos de cães e gatos que precisam sempre estar atentos aos seus animais para evitar problemas devido às altas temperaturas do verão. A hipertermia por insolação, também chamada de intermação, é muito comum em dias quentes e abafados. Considerada uma emergência veterinária, se ela não for tratada com rapidez, o animal pode chegar a óbito. É fundamental que conheça os principais sintomas, além de ter em mente alguns dos primeiros socorros para amenizar a situação. Entre os principais e mais característicos sintomas da hipertermia por insolação em animais podemos citar fraqueza, sede extrema, salivação em abundância e um estado ofegante prolongado, acompanhados, é claro, do aumento da temperatura corporal. O mais claro indício de que um pet está sofrendo com a intermação é a evolução deste primeiro quadro para um estado com outros sintomas mais graves, que pode incluir desde vômitos, diarreia e vermelhidão nas orelhas até episódios convulsivos. Confirmado os sintomas, deve-se levar o pet imediatamente para um clínica ou hospital veterinário. Por se tratar de uma emergência, todo segundo pode ser precioso e fazer a diferença entre a vida e a morte do cão. Oferecer um pouco de água para o animal e enrolá-lo em uma toalha molhada são providências que podem ajudar a amenizar a situação enquanto ele ainda não estiver na presença de um profissional. E é importante lembrar que dar comida ou jogar água gelada no cão com intermação são atitudes proibidas nestes casos, já que isso pode acabar piorando a situação do pet. Com isso em mente, não fica difícil saber que, para evitar a ocorrência da hipertermia por insolação em animais, é preciso mantê-los hidratados, afastado da exposição ao sol por períodos muito compridos e jamais deixar o pet preso em qualquer local que não tenha uma boa circulação de ar (como um automóvel, por exemplo). Esse tipo de atitude é justamente o que pode provocar este temido quadro. (Com informações Terra)

Tags: espaço

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
27 de outubro de 2016